Opinião

Carlos Matias

O populismo também é incendiário

O populismo insinua-se na análise das causas e das soluções para os incêndios rurais; simplifica o que é complexo, apontando uns quantos “culpados”, apregoa umas receitas de cartilha, elide os interesses em confronto e foge à definição concreta do conteúdo das “reformas” por fazer. Ora, aqui é que “bate o ponto”….

José Manuel Pureza

Uma nova respiração

Há movimento social em Portugal. A manifestação de jovens na Avenida da Liberdade contra a violência racista, a greve feminista e a greve estudantil pelo clima mostram essa nova vitalidade do movimento social, a sua criatividade propositiva e a sua determinação transformadora. E, mais que tudo, têm a força irreprimível da juventude.

Carlos Matias

Folclore é Cultura

Por uma vez, na Assembleia da República, falou-se de folclore.

 

Resoluções Mesa Nacional

O secretariado da coordenadora distrital do Bloco de Esquerda de Santarém reuniu com representantes das comunidades intermunicipais do distrito de Santarém, CIM da Lezíria do Tejo (CIMLT) e CIM do Médio Tejo (CIMT), sobre as opções do Plano Nacional de Investimentos 2030 (PNI2030).

As preocupações fundamentais dos secretários executivos das CIM prendem-se com a perda de protagonismo das sub-regiões e com o sucessivo de investimentos estruturantes no distrito, de que são exemplo a conclusão do IC13, com a reabilitação da ponte da Chamusca, a ponte entre o Cartaxo e Salvaterra de Magos (ponte D. Amélia) e a construção do nó A1- IC9 em Fátima.

O Bloco de Esquerda manifesta a sua profunda preocupação pelos números crescentes da pandemia e pela capacidade de resposta instalada no Centro Hospitalar do Médio Tejo, quer para doentes COVID 19, quer para os doentes com outras patologias.

O encerramento das urgências básicas de Torres Novas e Tomar no período nocturno a que se junta as dificuldades evidentes de muitos Centros de Saúde, no inverno e em plena época de gripe, têm que suscitar preocupação sobre a capacidade de resposta de uma Urgência médico-cirúrgica (Abrantes) que já tinha sérios problemas antes da pandemia.

Hoje, dia 13 de outubro de 2020, decorrem as “eleições” para os presidentes e vice-presidentes das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional.

Em junho deste ano veio a presidência de conselho ministros defender “o reforço da legitimidade democrática a nível regional, em que todos se vejam representados, mais próximos da tomada de decisão sobre os seus interesses e necessidades e mais capacitados para o exercício de uma cidadania ativa”, ao mesmo tempo que determina as eleições indiretas dos presidentes e vice-presidentes das CCDR.

Em junho passado foi inaugurada uma empresa no concelho de Vendas Novas, distrito de Évora

- a Extraoils – Oils 4 The Future, Lda.. Esta inauguração teve a participação do Governo através do Secretário de Estado para a Valorização do Interior, João Catarino.

A atividade desta empresa é a compra e venda de óleos vegetais, fabricação de biodiesel, fabrico de óleos vegetais, reciclagem de óleos e gorduras.

Os empresários são o senhor Pedro Silva e senhora Ana Silva, conhecidos na região de Torres Novas por Pedro Gameiro e Ana Gameiro, administradores da empresa Fabrióleo.

O BE requereu a apreciação parlamentar do Decreto-Lei nº 27/2020, de 17 de junho, que altera a Orgânica das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional, apresentando várias considerações que justificam o propósito do apresentado. Enquadrando a entidade sobre o qual se pretende fazer alterações orgânicas, importa dizer que as CCDR são organismos periféricos da administração central sob a tutela de ministérios das áreas da Coesão Territorial, Ambiente e Autarquias Locais, que gerem fundos comunitários, prestam apoio técnico às autarquias e associações de desenvolvimento regional. Com este decreto corremos sérios riscos de partidarizar todo este modo de funcionamento.

O Bloco de Esquerda acompanha de perto os incidentes ambientais no distrito de Santarém, as ocorrências de descarga de efluentes, no solo ou em meio aquático, as emissões gasosas e a deposição ilegal de resíduos continuam a fazer parte das notícias diárias.

A comissão coordenadora distrital do Bloco de Esquerda, que reuniu recentemente com a Administração Hidrográfica do Tejo para compreender as maiores dificuldades em matéria de controlo dos agentes poluidores, identifica melhorias esporádicas na qualidade ambiental do distrito, mas lamenta que se conheçam recorrentes atropelos às normas ambientais.

Páginas