Opinião

Fabíola Cardoso

Despoluir um rio não é impossível

Despoluir o Nabão é possível. Haja vontade política de quem governa, trabalho técnico competente e capacidade de candidatura a financiamentos europeus.

Fabíola Cardoso

Produção solar fotovoltaica sim, mas….

Assistimos ao nascimento de um novo problema ambiental que ocupa milhares de hectares no Ribatejo: proliferam os projetos de enormes centrais solares na Azambuja, Cartaxo, Alenquer, Santarém, Chamusca, Rio Maior ou Benavente.

Fabíola Cardoso

Ecovia do Tejo: um caminho de esperança

A ONU instituiu o dia 3 de junho como Dia Mundial da Bicicleta. Foi este o dia escolhido pelo Bloco de Esquerda para divulgar a proposta legislativa que defende a criação da Grande Ecovia do Tejo: um percurso ciclável e pedestre, de Espanha a Lisboa, junto ao rio Tejo.

 

Resoluções Mesa Nacional

Comissão Coordenadora Distrital – Mandato 2019/2021

Nestes dois anos de mandato da Comissão Coordenadora Distrital (CCD) de Santarém do Bloco de Esquerda, prestamos contas da forma e do conteúdo, da resposta aos desafios políticos colocados, mas também aos condicionalismos que a pandemia trouxe, nos últimos 20 meses (de um total de 24 meses de mandato). Estas foram as nossas prioridades nas respostas à crise na área da saúde, a nível social e económico.

Contribuíram para este trabalho e esta dinâmica, com o seu esforço cada elemento da CCD, bem como muitos autarcas, aderentes, ou simples simpatizantes que nos ajudaram com o seu ativismo e a nós se juntaram para novas e velhas reflexões sobre a condição de luta e defesa de ideias e projetos, dando corpo a uma verdadeira política distrital de transformação da nossa sociedade.

A Coordenadora Distrital de Santarém do Bloco de Esquerda vê como favorável a criação de uma NUT que permita a gestão conjunta das sub-regiões, com o intuito de recorrer a um conjunto de financiamentos gerido ao nível do Plano Regional de Ordenamento do Oeste e Vale do Tejo.

Mas a criação desta NUT II (Lezíria do Tejo, Médio Tejo e Oeste) refaz a discussão sobre pontos importantes como a necessidade de rever institucionalmente os processos de descentralização do estado e volta a sublinhar como incontornável a necessidade de promover a regionalização do país. É premente a necessidade de democratizar as estruturas administrativas supramunicipais, dotá-las de meios e recursos. A população tem que eleger os órgãos e as políticas por que são geridas.

No primeiro ano de mandato da CCD de Santarém o Bloco de Esquerda presta contas da forma como respondeu aos desafios políticos do nosso partido em tempo de pandemia. Gostaríamos de deixar aqui o que foram as nossas prioridades e respostas à crise de saúde, social e económica.

Deixamos o nosso agradecimento a todas e todos que contribuíram para a afirmação das políticas do Bloco de Esquerda no distrito, quer na dimensão distrital, quer na dimensão local, a todos os autarcas ou nos muitos ativismos que deram corpo às políticas bloquistas de transformação da nossa sociedade.

Agradecemos a todas e todos que não sendo do Bloco de Esquerda a nós se juntaram para reflexões e lutas na defesa de convicções e mudanças conjuntas.

A Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda de Santarém congratula todo o esforço das e dos camaradas no empenho de recolha de proposituras para a legalização da candidatura presidencial de Marisa Matias. A estrutura bloquista do distrito de Santarém foram exemplares nesta tarefa muito difícil em tempo de pandemia. 

O secretariado da coordenadora distrital do Bloco de Esquerda de Santarém reuniu com representantes das comunidades intermunicipais do distrito de Santarém, CIM da Lezíria do Tejo (CIMLT) e CIM do Médio Tejo (CIMT), sobre as opções do Plano Nacional de Investimentos 2030 (PNI2030).

As preocupações fundamentais dos secretários executivos das CIM prendem-se com a perda de protagonismo das sub-regiões e com o sucessivo de investimentos estruturantes no distrito, de que são exemplo a conclusão do IC13, com a reabilitação da ponte da Chamusca, a ponte entre o Cartaxo e Salvaterra de Magos (ponte D. Amélia) e a construção do nó A1- IC9 em Fátima.

Páginas