Reserva de suinicultura põe em risco Paul do Boquilobo

A intenção de criar uma reserva de suinicultura junto ao Paul do Boquilobo pode por em causa o ecossistema local. 

Recentemente, decorreu uma consulta pública para a instalação de uma exploração suinícola, com capacidade para 8000 mil suínos, no lugar de Quinta dos Caniços, na freguesia da Brogueira, município de Torres Novas. Este local fica nas imediações e a montante da Reserva da Biosfera do Paul.

A Reserva da Biosfera do Paul do Boquilobo é contra esta instalação considerando que coloca em risco o eco-sistema. A exploração comprometerá planos e projetos de turismo natureza, nos municípios de Torres Novas e Golegã.

O Paúl de Boquilobo é uma reserva natural é um dos eco-sistemas mais complexos e mais valiosos do nosso País. Tem uma dimensão global de quase 6000 hectares. Neste território, florescem cerca de 317 espécies diferentes de plantas, vivem 16 espécies de peixes, 13 espécies de anfíbios, 11 espécies de répteis, 27 espécies de mamíferos.

Mas foram as aves que mais se destacaram e levaram à classificação da reserva, pois utilizam o Paul do Boquilobo como local de nidificação, de passagem e de descanso. Contam-se mais de 220 espécies de aves que usam o Pául do Boquilobo como um sitio nevrálgico das suas rotas migratórias.

Foi esta riqueza que levou a Unesco a classificar o Paúl do Boquilobo como Reserva da Biosfera em 1981. Mas a sua relevância não se esgota na fauna. Aí, floresce um habitat de formações herbáceas composto por 63 florestas esclerofilas e 6310 montados
de Quercus; três habitats florestais compostos por 91 florestas da Europa temperada, 92 florestas mediterrânicas caducifólias e 93 florestas esclerofilas mediterrânica.

No entanto há um elemento natural vital para este complexo ecossistema: a água. Nesta Reserva existem cinco distintos habitats de água doce: 31 de águas paradas, composto por 3150 lagos eutróficos; 32 de águas correntes, composto 3260 cursos de águas dos pisos basal a montano, 3280 cursos de água mediterrânicos permanentes e 3290 cursos de água mediterrânicos intermitentes.

O curso de água de maior relevância no território do Paul do Boquilobo é o Rio Almonda, um rio atingido pelos problemas ambientais nos seus afluentes da ribeira do Serradinho e da Ribeira da Boa Água.

Assim, o Bloco de Esquerda questiona o Ministério do Ambiente: 

1. Tem o Ministério conhecimento deste projeto?

2. Considera o Ministério que a instalação da referida exploração suinícola “às portas” de uma Reserva da Biosfera da Unesco não compromete a sustentabilidade da mesma?

3. Considera o Ministério que a apreciação e parecer nnegativos da própria Reserva da Biosfera do Paul do Boquilobo é insuficiente para impedir este projeto?